PSDB diz que filiações sob suspeitas serão avaliadas por comissão

João Doria trabalha para manter 92 eleitores favoráveis a ele, enquanto aliados de Eduardo Leite apontam fraude

Diretório paulista é suspeito de fraudar datas de filiações fora do prazo para garantir mais votos nas prévias | Foto: Roberto Casimiro/Estadão Conteúdo

O presidente do PSDB, Bruno Araújo, decidiu que a comissão responsável pelas prévias presidenciais irá analisar caso a caso sobre a participação na votação interna de 92 prefeitos e vice-prefeitos paulistas cujas datas de filiação estão sob suspeita.

“A comissão não irá questionar a filiação dos mandatários, mas se estão ou não habilitados a votar. Nos casos em que a comissão decida pela permissão do voto nas prévias, esses farão suas escolhas por meio do aplicativo de celular desenvolvido para a eleição”, informou o partido em nota.

A decisão de Araújo ainda será submetida à executiva nacional do partido em reunião nesta quinta-feira 28.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, entre os tucanos, a avaliação é de que a questão terminará judicializada de qualquer forma e pode colocar as prévias em risco. Membros do partido dizem que o caso é grave e pode levar a acusação de falsidade ideológica.

Na manhã desta quarta-feira, 27, Dória (que está nos Emirados Árabes para participar da feira Expo Dubai) disse em entrevista à TV Jovem Pan News que “não houve irregularidade, a defesa já foi feita e isso [acusação] passa o sentimento daqueles que querem justificar a derrota”.

Na semana passada, diretórios do PSDB do Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Bahia e Ceará acusaram o diretório paulista, controlado por Doria, de fraudar as datas de filiações de prefeitos e vice-prefeitos fora do prazo para assegurar mais votos.

As regras das prévias determinam que só filiados até 31 de maio poderiam participar — o PSDB-SP diz que as filiações foram feitas antes do prazo, mas os aliados do governador gaúcho apontam que as fichas foram fraudadas com data retroativa.

Fonte: revistaoeste.com