Serasa aponta que 33% da população de Ituverava estão endividados

No total, são 14 mil pessoas, segundo maior número da microrregião, atrás apenas de São Joaquim da Barra

Dentre os muitos efeitos provocados pela pandemia da Covid-19 está o endividamento da população. Cerca de 62,56 milhões de brasileiros estavam endividados no mês de maio, segundo o Mapa da Inadimplência no Brasil, divulgado pela Serasa. O número é 0,7% menor do que o verificado em abril, quando o indicador estava em 62,98 milhões.
Levantamento feito pela Serasa, a pedido da Tribuna de Ituverava, mostra que, no município, são 14 mil pessoas endividadas, o que corresponde a cerca de um terço da população, hoje próxima dos 42 mil habitantes.
O número é o segundo maior da microrregião, atrás de São Joaquim da Barra (17 mil pessoas endividadas) e empatado com Orlândia. Em seguida, vêm Igarapava (10 mil), Miguelópolis (8 mil), Aramina (2 mil), Buritizal (1 mil) e Jeriquara (1 mil). As duas maiores cidades da região, Ribeirão Preto e Franca, têm, respectivamente, 257 mil e 117 mil endividados.
Proporcionalmente, Miguelópolis lidera no número de endividados, com 35,78% de sua população. Em seguida, Aramina (35,36%), Ituverava (33,29%), Igarapava (32,66%), Jeriquara (31,73%), Orlândia (31,55%), São Joaquim da Barra (32,49%) e Buritizal (22,15%). A porcentagem de Ribeirão Preto é de 36,10% e a de Franca, de 32,87% (confira quadro).

Números em Ituverava
O número de endividados em Ituverava, contudo, é o mesmo desde o início do ano. No primeiro semestre de 2020, conforme demonstrado no segundo quadro, a oscilação foi pequena, com o menor número de endividados nos meses de janeiro e junho (13 mil) e o maior em março (15 mil).
A Serasa alerta, no entanto, que o valor médio da dívida por pessoa é o maior dos últimos 12 meses, e está em R$ 3.937,38, alta de 1,3% em relação ao mês anterior.
O valor médio de cada conta em atraso é de R$ 1.162,43.
O maior volume de dívidas está na categoria bancos/cartão, representando 29,7% dos mais de R$ 211 milhões de débitos. Em seguida, estão as contas com luz, água e gás, com 22,3%. As compras no varejo representam 13% das dívidas dos brasileiros.

Estado de São Paulo
Em números absolutos, São Paulo lidera o número de negativados, com mais de 15 milhões, mais que o dobro do estado segundo colocado. Rio de Janeiro tem 6,15 milhões e Minas Gerais, 5,9 milhões. Bahia (3,92 milhões) e Paraná (3,27 milhões) aparecem entre os cinco mais inadimplentes.
A Serasa também aponta os brasileiros que estão buscando negociação pelo Serasa Limpa Nome. A faixa etária de 31 a 40 anos foi a que mais buscou uma solução financeira para os débitos; em seguida, os com idade entre 18 e 25 anos.

Ituverava
População: 42.045
Endividados: 14.000
Porcentagem: 33,29%

Aramina
População: 5.655
Endividados: 2.000
Porcentagem: 35,36%

Buritizal
População: 4.514
Endividados: 1.000
Porcentagem: 22,15%

Igarapava
População: 30.614
Endividados: 10.000
Porcentagem: 32,66%

Jeriquara
População:3.151
Endividados: 1.000
Porcentagem: 31,73%

Miguelópolis
População: 22.355
Endividados: 8.000
Porcentagem: 35,78%

Orlândia
População: 44.360
Endividados: 14.000
Porcentagem: 31,55%

São Joaquim da Barra
População: 52.319
Endividados: 17.000
Porcentagem: 32,49%

Franca
População: 355.901
Endividados: 117.000
Porcentagem: 32,87%

Ribeirão Preto
População: 711.825
Endividados: 257.000
Porcentagem: 36,10%

Quantidade de pessoas endividadas em Ituverava

2020
Janeiro: 13 mil
Fevereiro: 14 mil
Março: 15 mil
Abril: 14 mil
Maio: 14 mil
Junho: 13 mil

2021
Janeiro: 14 mil
Fevereiro: 14 mil
Março: 14 mil
Abril: 14 mil
Maio: 14 mil
Junho: Ainda não divulgado

Programa Serasa Limpa Nome continua até o dia 22 de agosto

Parte dos débitos dos brasileiros poderá ser renegociada em valores de até R$ 100 por meio do programa Serasa Limpa Nome, aberto até o dia 22 de agosto. Só na primeira semana do projeto, iniciado no dia 12 de julho, foram realizados aproximadamente 500 mil acordos, equivalentes a R$ 684 milhões.
O programa tem parceria com 24 empresas que oferecem descontos de até 99% das dívidas. Quem está endividado pode negociar com bancos como o Itaú e o Bradesco, lojas de varejo e de telefonia, como Casas Bahia e Vivo.
Não existe valor máximo ou mínimo da dívida para participar, mas todos os débitos passíveis de acordo já estão cadastrados na plataforma. Ao se inscrever com nome e CPF no Serasa Limpa Nome, o consumidor terá acesso às condições de pagamento oferecidas pelas empresas.
A expectativa do projeto é quitar 14 milhões de débitos em todo o país — na edição de 2020, aproximadamente 6 milhões de dívidas foram resolvidas.
Dicas de negociação
Para quem não encontrar no feirão a dívida que precisa quitar, o consultor financeiro Carlos Eduardo Costa dá dicas de negociação diretamente com as empresas: “Antes de buscar a empresa credora, você precisa saber qual é sua capacidade de pagamento, o que você pode oferecer, quanto tem de entrada e que valor pode pagar por mês. Aí, você mesmo faz a proposta e só aceita a contraproposta se elas atenderem as suas condições. Muitas vezes, a pessoa aceita a proposta da empresa na ânsia de resolver a dívida e, daqui a pouco, não consegue honrar o compromisso”, afirma.

Dívidas com bancos
O levantamento mais recente da Serasa aponta que 62,5 milhões de brasileiros estavam inadimplentes no mês de maio deste ano — 4% menos do que no mesmo período de 2020. Segundo a pesquisa, a inadimplência é mais comum com dívidas com bancos ou cartões, que correspondem a quase 30% dos endividamentos. Logo atrás, estão as contas de casa, como água e luz, no patamar dos 22%, e as dívidas com o varejo, que alcançam 13%.
O consultor financeiro Carlos Eduardo Costa avalia que os feirões são uma boa oportunidade para sair do endividamento, porém, lembra que são uma solução temporária, caso o planejamento financeiro não esteja em dia.
“A dívida é como se fosse uma febre: ela não surge no organismo do nada, mas sim porque tem alguma coisa errada acontecendo. A dívida não é causa dos problemas, mas consequência deles. Os feirões funcionam como hipotérmicos, que baixam a febre, mas não resolvem o problema. O grande risco desses programas é a pessoa ficar livre da dívida com eles, mas não resolver a vida financeira e se tornar cliente de feirões todo ano”, pondera.
Costa reconhece que, em meio à alta do desemprego e à pandemia, parte da inadimplência é de quem não tem recursos para arcar com as despesas. Ao mesmo tempo, ele recomenda um planejamento financeiro reforçado neste momento. O primeiro passo, indica, é registrar todos os ganhos e gastos mensais para entender o que pode ser cortado sem endividamento, por exemplo.

Confira como participar do Serasa Limpa Nome:

Acesse o site www.serasa.com.br/limpa-nome-online ou faça o download do aplicativo Serasa para se cadastrar. A Serasa também ajuda na negociação de dívidas pelo whatsapp (11) 11 99575-2096, pelo telefone 0800 591 1222 e nas agências dos Correios.
Neste momento, ela recomenda o atendimento remoto, devido à pandemia.
Confira se você tem dívidas negociáveis. Qualquer débito que possa ser negociado por meio do programa vai ser informado na plataforma.
Selecione a dívida para conhecer as condições de pagamento, que variam para cada débito. O pagamento pode ser feito à vista ou parcelado e a dívida sai do CPF do devedor em até cinco dias úteis após o pagamento.