Série baseada no livro Cem Anos de Solidão terá três temporadas

A aguardada adaptação de Cem Anos de Solidão, obra-prima de Gabriel García Márquez, terá “cerca de vinte horas distribuídas em três temporadas”, adiantou o cineasta Rodrigo García, um dos filhos do escritor colombiano. Ao lado do irmão Gonzalo, García assumiu a produção-executiva do projeto encabeçado pela Netflix, que é o primeiro a verter o aclamado livro para o universo audiovisual.
“Ainda não está totalmente decidido, mas inicialmente serão três temporadas de oito, seis e oito episódios, algo assim”, disse García em entrevista virtual no 8º Festival Gabo, evento que reúne jornalistas com palestras sobre atualidades e que leva o apelido do escritor colombiano, que também foi jornalista, no título.
O produtor-executivo adiantou ainda que o roteirista porto-riquenho José Rivera já escreveu os primeiros capítulos de Cem Anos de Solidão, inclusive o roteiro do episódio-piloto – um desafio à parte, já que a obra do autor Nobel de Literatura tem poucos diálogos.

Dificuldade
A dificuldade já havia se postado quando o romance teve opções de adaptação ao cinema, barradas pelo próprio García Márquez, que duvidou que a obra caberia no formato audiovisual.
“Os romances do Festival de Gabo têm muito pouco diálogo. E, quando os personagens falam, o fazem de forma muito contundente, lapidar e poética. O cinema não aguenta isso. Os personagens não podem estar todos falando como se fossem deuses”, disse García.
Para contornar o problema, o cineasta afirmou que é importante que o livro seja assumido por completo e a partir de uma visão universal por parte de roteiristas e diretores, além de defender a liberdade criativa para que o projeto saia do papel.
“Rivera fez alterações que não estão reinventando nada, são bem parecidas com o romance original. Mas, fez algumas mudanças estruturais inteligentes, que não serão alarmantes. Ele é muito fiel ao livro”, garantiu o filho do escritor, que também dirigiu episódios de produções como Família Soprano e A Sete Palmos, ambas da HBO e vencedoras do Globo de Ouro por Melhor Série Dramática. Em sua visão, é preciso “respeitar a essência e o que as pessoas viveram”, mas que toda história é, no fundo, uma adaptação.

Anúncio da Netflix

À época do anúncio da Netflix, no ano passado, o vice-presidente da divisão de originais em espanhol da plataforma, Francisco Ramos, disse que o lançamento de produções como Narcos e do oscarizado Roma ajudou a mostrar à família de García Márquez que a empresa era capaz de desenvolver um conteúdo de qualidade em espanhol para uma audiência mundial. Há de esperar que Cem Anos de Solidão siga a mesma trilha de sucesso.