Testou positivo tem que ficar em casa

Com esse entendimento a Justiça do Trabalho julgou correta a atitude do empregador que dispensou uma trabalhadora que estava em gozo de licença médica por suspeita de contaminação pelo novo coronavírus e descumpriu orientação de permanecer isolada, indo viajar para uma cidade turística e postando fotos.
Segunda consta dos autos, a funcionária solicitou afastamento apresentando atestado médico particular, no qual determinava o repouso e permanência em isolamento socia (casa) o que foi aceito pela empresa – empregador.
Todavia, contrariante das disposições a mesma seguiu viagem para a cidade turística, para passar o final de semana.
Frise-se que a empresa continuou a pagar o salário da funcionária afastada e, em contrapartida, esperava-se que a mesma mantivesse isolamento, um ato de respeito em relação ao próximo e à toda sociedade, e que atitudes como esta, contrária às orientações das autoridades sanitárias, podem levar à uma elevação dos níveis de infecção e a novas restrições, o que poderia comprometer ainda mais a saúde financeira das empresas, incluindo da ex-empregadora da autora da ação.
Ao retornar para o trabalho a mesma foi dispensada pelo empregador, sendo que a Justiça do Trabalho ao analisar o caso, classificou como “gravíssimo” o comportamento da trabalhadora, ensejando assim na mantença da decisão do empregador de dispensa por justa causa por mau procedimento ou ato de improbidade.

JOSÉ EDUARDO MIRANDOLA BARBOSA – ADVOGADO E JORNALISTA