Ultrassonografia transvaginal detecta endometriose profunda com precisão

A médica Dra. Daniella Barboza simula como é feito a ultrassonografia transvaginal

Em Ituverava e região, a médica radiologista Dra. Daniella Barboza é referência no assunto

Estudos recentes têm destacado a importância e até mesmo a superioridade da ultrassonografia com preparo intestinal para a detecção de diversas doenças e lesões.
Dentre elas está a endometriose profunda, doença ginecológica silenciosa, que atinge cerca de um décimo das mulheres e pessoas com útero no Brasil.
Em Ituverava e região, a médica radiologista Dra. Daniella Barboza tem se destacado na realização da ultrassonografia transvaginal, com atuação no Instituto JM – Centro ClÍnico e Diagnóstico por Imagem, localizado à Rua Adhemar de Barros, 587 – Centro.
Em entrevista concedida à Tribuna de Ituverava ela explica que a ultrassonografia transvaginal com preparo intestinal é uma técnica especializada usada para a detecção de endometriose profunda.
“Sabemos que de 30% a 60% das mulheres com endometriose têm infertilidade e até 70% convivem com dor pélvica. Apenas em 2022, o Sistema Único de Saúde (SUS) registrou mais de 10 mil procedimentos hospitalares (incluindo internação) devido a doença”.
“Tipicamente, a endometriose se apresenta em mulheres jovens, com idade média de diagnóstico de 25 a 29 anos, embora não seja incomum entre meninas adolescentes”, afirma.
A médica ainda lembra que até 5% dos casos são diagnosticados em mulheres na pós-menopausa e que potenciais fatores de risco incluem história familiar e ciclos menstruais curtos.

Sintomas
“Dentre os sintomas comuns estão a infertilidade, a dor pélvica (geralmente associada à menstruação, embora também possa ser não cíclica), envolvimento gastrointestinal (com diarreia catamenial, sangramento retal e constipação), envolvimento vesical (com urgência, frequência e hematúria) e envolvimento torácico (com dor torácica pleurítica, pneumotórax, derrames pleurais ou hemoptise cíclica)”, explica.
“Vale lembrar que a doença também pode ser assintomática, especialmente se for isolada ao peritônio, e o que o estágio da endometriose não necessariamente se correlaciona com a gravidade dos sintomas”, ressalta.

Diagnóstico
Para chegar ao diagnóstico da doença, a ultrassonografia transvaginal desempenha um papel fundamental.
“Estudos recentes demonstraram a superioridade da ultrassonografia com preparo intestinal em relação à ressonância magnética na detecção das lesões, em especial, lesões pequenas e aderências”, destaca.
“Isso porque, apesar de todas as vantagens da RM sobre todas as outras modalidades de imagem, ela tem uma série de limitações, como a dificuldade em detectar lesões não pigmentadas (uma vez que elas não serão hiperintensas em T1), dificuldade em delinear implantes semelhantes a placas e dificuldade para identificar diretamente aderências, uma vez que elas geralmente contam com distorção da anatomia normal”, diz.

Exame
A médica ainda lembra que a ultrassonografia transvaginal com preparo intestinal se difere da ultrassonografia pélvica tradicional porque o exame é estendido além do útero e dos ovários para avaliar os compartimentos pélvicos anterior e posterior.
O exame inclui uma avaliação dinâmica da mobilidade do órgão e sensibilidade sítio-específica.
“Também são avaliadas fossas ilíacas, apêndice cecal, rins e diafragma e, ao final do exame, é feito um mapeamento das lesões em forma de gráfico, com a visão laparoscópica da pelve”, completa.
Por perceber a necessidade dos colegas médicos e de pacientes, além de ter identificação familiar com o tema, realizou um fellow em diagnóstico e mapeamento de endometriose por ultrassom, junto à Dra. Lilian Fazzion, uma das referências da área, em São Paulo.

Atendimento
Além de atender no Instituto JM – Centro Clínico e Diagnóstico por Imagem, a médica radiologista Dra. Daniella Barboza atua na Santa Casa de Ituverava.
Para agendar uma ultrassonografia transvaginal é só entrar em contato com o Instituto JM pelo telefone (16) 99668-4322, pelo Instagram @institutojm.Ituverava ou diretamente na clínica, na Rua Adhemar de Barros, 587 – Centro.

A médica

A Dra. Daniella Barboza se formou em Medicina em 2011, na sua cidade natal, Fortaleza (CE), fez Residência em Radiologia e Diagnóstico por Imagem no HC da USP – São Paulo.
Após 10 anos de experiência na capital, ela se casou com Antônio Nelson Gomes da Silva e se mudou para Ituverava, onde nasceu seu marido.