Vereadora repudia assédio cometido pelo deputado Fernando Cury na Alesp

Em sessão da Câmara realizada dia 21 de dezembro, a vereadora Andréa Fonseca Yamada Scotte apresentou Moção de Repúdio à violência política e sexual e a atitude machista do deputado estadual Fernando Cury, do Cidadania.
O parlamentar foi acusado de assédio após se posicionar atrás da deputada Isa Penna (PSOL) e colocar a mão nos seus seios, durante sessão da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), realizada dia 16 de dezembro. O ato foi flagrado pelas câmeras da Alesp.

Justificativa
Em sua justificativa, Andréa destacou que toda e qualquer atitude que fira a honra feminina, assim como a do deputado Fernando Cury, deve ser punida. “Falo como mulher e como conselheira tutelar que fui durante anos atuando na defesa dos direitos das crianças e dos adolescentes, e consequentemente, na violência doméstica e sexual contra a mulher”, disse a vereadora.
“Qualquer ato que invada a privacidade e que falte com respeito à mulher deve ser veementemente repudiado e combatido. Pelo que tenho acompanhado, o caso foi encaminhado ao órgão competente de apurações da Alesp. Espero que a investigação seja rápida e que não aconteçam mais episódios semelhantes”, afirma.
“Pelas imagens, é possível ver uma aproximação e um movimento feito pelo deputado Fernando Cury. Isa Penna reage imediatamente e de forma contundente contra o ato dele. Que esse gesto não passe impune”, lamenta a parlamentar.

Importunação sexual
Andréa ainda cita a Lei da Importunação Sexual, sancionada em 2018, que prevê prisão em flagrante e pena de 1 a 5 anos de reclusão, em caso de condenação.
“Atitudes como a do deputado precisam ser rechaçadas em todas as esferas. A importunação sexual precisa ser combatida. Isso não só quando acontece a uma deputada, mas com as milhares de mulheres que sofrem esse tipo de assédio todos os dias. Quantos casos semelhantes nós já vimos? É hora de dar um basta nisso”, enfatiza.
“Como representante feminina desse Legislativo e em defesa da honra de todas a mulheres, essa vereadora manifesta seu total REPÚDIO ao acontecido no dia 16 de janeiro, na Alesp”, completa a vereadora Andréa Yamada.

Denúncia

Em tempo, o deputado Fernando Cury foi afastado de todas as suas funções no dia 18 de dezembro, informou o partido Cidadania em comunicado enviado à imprensa.
No dia 6 de janeiro, a presidente do Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo, Maria Lúcia Amary, do PSDB, disse que a denúncia contra o deputado Fernando Cury será aceita e que o arquivamento do caso é “impossível”.